Primeiras conclusões da XV Conferência Ibero-americana de Ministros da Saúde

Avança a XV Conferência de Ministros de Saúde discutindo sobre políticas públicas em torno a direitos sexuais e reprodutivos, o problema das drogas e a dupla carga do estado nutricional dos jovens.

ministros-salud

No dia de ontem inaugurou-se em Cartagena das Índias a XV Conferência de Ministros de Saúde Ibero-americanos, com a participação do Ministro da Saúde e Proteção Social da Colômbia, Alejandro Gaviria Uribe, a Secretária Geral Adjunta Ibero-americana, Mariangela Rebuá, a Secretária Geral da Organização Ibero-americana de Segurança Social, Gina Magnolia Riaño e a Diretora Regional das Américas de OPS/OMS, Carissa Etienne na mesa principal, assim como os Ministros e Ministras de todos os países ibero-americanos como assistentes.

“Esta conferência deve ser um espaço para compartir experiências nacionais que orientem o desenho e a implementação de políticas públicas nos nossos países”, introduziu o Ministro Gaviria às diferentes delegações dos países ibero-americanos, assegurando que “enfrentamos problemas semelhantes, partilhamos as mesmas realidades demográficas, sociais y económicas, mas temos políticas diferentes. Podemos, então, aprender conjuntamente com as nossas conquistas, os nossos fracassos e os nossos desvios”.

Por outro lado, durante a sua intervenção, a Secretária Rebuá destacou que “uma Ibero-América mais saudável também se alcança através de uma maior cooperação e colaboração entre os países ibero-americanos”.

Igualmente, o Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, esteve presente através de um vídeo no qual saudou todos os Ministros e Ministras assistentes, destacando as conquistas em saúde da Colômbia e referindo-se aos benefícios para o setor que trará o acordo de Paz.

 

Durante a jornada, os Ministros discutiram um primeiro painel sobre “Políticas públicas para abordar o problema mundial das drogas” com vários pontos, entre os quais se destaca um não definitivo às políticas repressivas como única solução para o problema de consumo de substâncias psicoativas.

O segundo painel a discutir centrou-se no “Impacto da dupla carga do estado nutricional dos jovens” e o terceiro, que se celebrará hoje, sobre “Políticas públicas para garantir o exercício dos direitos sexuais e direitos reprodutivos dos jovens”.

En la agenda del evento se presentó también un documento de trabajo conjunto entre SEGIB y la OPS que analiza la Cooperación Sur-Sur y Triangular en el sector de la salud en Iberoamérica. Dicho documento, basado en los datos que nutren el Informe de la Cooperación Sur-Sur en Iberoamérica, aprovecha el expertise de ambas organizaciones para mostrar importantes resultados, como las áreas programáticas a las que se dirigió mayormente esta cooperación (determinantes sociales de la salud, salud de la mujer y materno infantil), evidenciando su complementariedad  frente a otras formas de cooperación.

Veja todos os assuntos